NOVIDADES
Loading...

Mais precisamente no ano de 1975 surgia uma banda na Alemanha chamada Gentry que contava com o vocalista chamado Frank Engelin, o guitarrista e vocalista Piet Sielck, o guistarrista Kai Hansen que era da banda Ancient Call e que futuramente viria a ser um dos fundadores do Helloween, o baixista Christian Haverland e o baterista Andy. Grentry pode ser chamada também de embrião do Helloween, onde tudo começou.

Mas onde tudo começou mesmo foi em 1981 quando entraram para a banda que já não se chamava mais Gentry e sim Second Hell o baixista Markus Grosskopf que antes era da banda Traumschiff e o baterista Ingo Schwichtenberg.

Com esta formação a banda fez muitos shows pelos bares em Hamburgo mas passados mais dois anos ocorre mais uma mudança no nome da banda que a partir de agora se chamava Kronus mas este nome durou muito pouco tempo e então o grupo mudou novamente e desta vez para Iron Fist e neste periodo o até então guitarrista e vocalista da banda Piet Sielck sai da banda e a banda passa por um tempo no silencio até que Kai Hansen é chamado para a banda Powerfool do guitarrista Michael Weikath, mas aconteceu que Kai atraído pelo talento do jovem guitarrista resolveu chamar Weikath para a sua banda e Michael aceitou. 


Com uma formação nova a banda decide mudar pela quarta vez de nome e muda para Helloween e adota uma abóbora como seu mascote. Tanto o nome como o mascote foram idéias do baterista Ingo Schwichtenberg e aceitas pelo restante do grupo. 

Em 1984 o Helloween é convidado para participar do álbum Death Metal pela Noise Records que serviria para divulgar novas bandas e junto com o Helloween participaram também Running Wild e Dark Avenger da Alemanha e Hellhammer da Suiça. E já no ano seguinte em 1985 a banda lança seu primeiro EP autointitulado de Helloween e o primeiro álbum Walls Of Jericho a banda se firma como uma das grandes revelações do Heavy Metal da época.

Em 1987 a banda planejava voos mais altos e para isso Kai Hansen deixou o posto de vocalista e ficou apenas com a posição de guitarrista. Para assumir o microfone da banda eles chamam Michael Kiske que na época tinha 18 anos e cantava na banda I'll Prophecy. Com Kiske a banda gravou os álbuns mais famosos da banda Keeper Of The Seven Keys - Part I (1987) e Part II (1988). E foi após as longas turnês de divulgação desses álbuns que em 1989 o guitarrista e fundador da banda Kai Hansen saiu alegando que as turnês eram muito longas.

Em seu lugar entrou Roland Grapow que tocava na banda Rampage e então a banda gravou Pink Bubbles Go Ape (1991) e Chameleon (1993), dois dos álbuns mais criticados pelos fãs da banda e também um período conturbado entre os membros que resultou na saída do baterista Ingo Schwichtenberg que sofria de esquizofrenia e Michael Kiske que já não tinha bom relacionamento com os outros membros da banda.


O vocalista Andi Deris da banda Pink Cream 69 e o baterista Uli Kusch do Gamma Ray entram em seus lugares e a banda volta ao topo com o lançamento do álbum Master Of The Rings em 1994 que tornou-se um mega sucesso, com mais de 500 mil cópias vendidas. Os leitores da prestigiada revista japonesa Burrn! elegeram o Helloween como a "Melhor Banda 94/95". Com a boa recepção do público e da crítica a banda realizou diversas turnês com lotação esgotada, retomando o sucesso que marcou a primeira fase do Helloween.

O ano de 1995 foi o mais triste para os fãs e para todos os membros e ex-membros do HelloweenIngo Schwichtenberg na época com 29 anos se jogou na frente de um trem na estação Friedrichsberg, em Hamburgo após uma crise esquizofrênica.

No ano seguinte a banda lança o álbum The Time Of The Oath e dedica a Ingo Schwichtenberg. Inspirado nas profecias de Nostradamus, o disco traz algumas novidades: A Million To One e Wake Up The Mountain foram compostas pelo baterista UIi Kusch. A nova fase rendeu ainda o registro ao vivo High Live. O sucesso do álbum rendeu também a primeira passagem da banda pelo Brasil em apresentação no Monsters Of Rock.